facebook google + twitter comunidade cadastre-se    sua conta
Saúde da Próstata

ARTIGOS & CIA

 artigos
 colaboradores
 wikipédia
 busca
 cadastre-se
Associação pela Saúde da Próstata

ACESSOS

envolva-se

 

quem somos
o abc da próstata
prostatite
hiperplasia
câncer de próstata
fui diagnosticado
exames grátis
prevenção
notícias
artigos
cadastre-se
sua conta
solicitar palestra
recomendados
fale conosco

 

pacientes

 

família

 

busca
 

ARTIGOS


Boa nutrição pode ser a chave na prevenção do câncer de próstata
por Traduzido e adaptado por Ewaldo Endler

ref.: Cancer Project

Na batalha contra o câncer de próstata, os homens necessitam toda a munição que conseguirem e uma dieta saudável pode auxiliá-los a reduzir o risco de desenvolver a doença. As estatísticas indicam que um a cada seis homens será diagnosticado com câncer de próstata durante sua vida, mas muitos desses casos poderão ser prevenidos tão somente adotando uma dieta adequada.

Estudos científicos demonstraram que dietas livres de carnes e de laticínios, combinadas com outras mudanças no estilo de vida, podem impedir a progressão do câncer de próstata nos seus estágios iniciais bem como podem também prevenir o aparecimento da doença.Os laticínios são os maiores responsáveis pelo aumento do risco de desenvolvimento do câncer de próstata. Num estudo de longa duração os pesquisadores acompanharam mais de 20.000 homens, todos eles médicos, durante um período de 11 anos e detectaram uma moderada elevação no risco do desenvolvimento do câncer de próstata associada à ingestão de cinco produtos lácteos, incluindo leite, queijos e sorvetes. Tomar leite provoca o aumento da proteína denominada “Fator de crescimento semelhante á insulina tipo 1” (IGF-1) o qual acredita-se desempenhar no sangue um papel fundamental como causador do câncer de próstata. Conforme dois estudos publicados em 2007 no American Journal of Epidemiology, homens que consomem leite semi-desnatado ou desnatado igualmente defrontam-se com aumento no risco de desenvolver o câncer de próstata.

Um estudo que incluiu 82.483 homens, multiétnico, constatou que 4.404 deles desenvolveram câncer de próstata ao longo de um período de 8 anos. Os pesquisadores constataram uma associação estatística positiva significativa entre o consumo de um copo ou mais de leite desnatado por dia e a incidência desse tipo de câncer.

Outro estudo abrangeu um total de 293.888 participantes e foi conduzido em cojunto por três instituições de pesquisa (National Institutes of Health – NIH, AARP Diet e Health Study). Os resultados mostraram haver associação entre o aumento do risco de desenvolver câncer de próstata avançado e o consumo de duas ou mais porções de leite integral por dia.

Pesquisadores britânicos relataram que uma dieta livre de carne e de produtos lácteos pode reduzir o risco de homens desenvolverem o câncer de próstata. Um estudo conduzido por Oxford envolvendo 696 homens constatou que o nível da proteína IGF-1 é 9% menor nos vegetarianos do que entre aqueles que ingerem carne. Esse estudo, publicado no British Journal of Cancer em 2000, menciona também que estudos populacionais anteriores demonstraram ser menor a incidência de câncer de próstata em países com baixo consumo de produtos de origem animal.

Alguns dos estudos mais impactantes sobre a correlação entre a dieta e o câncer de próstata foram originados pelo Dr. Dean Omish, que se tornou inicialmente famoso ao demonstrar os efeitos dos fatores da dieta e do estilo de vida nas doenças cardíacas. O estudo publicado pelo Dr. Omish em 2005 no The Journal of Urology demonstrou o impacto da dieta no câncer de próstata. Após um ano de dieta vegetariana pobre em gorduras, complementada por exercícios aeróbicos moderados e técnicas de controle do estresse, os sobreviventes de câncer de próstata incluídos no experimento tiveram redução média de 4% no nível do antígeno prostático específico (PSA). É totalmente inusitada a redução dos níveis de PSA sem tratamento. Ao mesmo tempo, um grupo de controle, não submetido ao programa introduzido pelo Dr. Omish, apresentou crescimento médio de 6% nos seus níveis de PSA. Além disso, seis homens do grupo de controle necessitaram tratamento durante o período de um ano do estudo, decorrente da progressão do seu câncer de próstata, enquanto que nenhum do grupo experimental necessitou tratamento.

O Dr. Gordon Saxe, médico com mestrado e PhD, professor do Department of Family and Preventive Medicine da University of Califórnia em San Diego, conduz estudos para determinar se a adoção de uma dieta baseada em vegetais, reforçada pela redução do estresse, pode diminuir a progressão de cânceres recorrentes da próstata. Ele também estuda o papel da nutrição e da genética no risco de desenvolver câncer. O Dr. Saxe apresentou alguns dados de suas pesquisas em 2006 no Primeiro Simpósio Anual de Câncer e Nutrição organizado pelo Projeto Câncer. Os resultados de sua apresentação e os de outros especialistas em dieta e câncer podem ser vistos em www.cancerproject.org/webcast. As pesquisas sobre a relação entre genética e o câncer podem trazer grandes benefícios no futuro. Contudo, os dados científicos já obtidos sugerem que uma dieta vegetariana com baixo teor de gorduras pode prevenir o aparecimento do câncer de próstata ou sua recorrência.

Aumentando o consumo de vegetais, frutas, feijão e cereais integrais e, ao mesmo tempo, evitando laticínios, carnes e produtos de origem animal o homem pode dar importante passo no sentido de preservar sua saúde.

Muitos dos produtos que já fazem parte do cotidiano de nossas mesas auxiliam na prevenção do câncer. Feijão, lentilha e grão-de-bico são ricos em fibras que auxiliam o organismo a eliminar o excesso de testosterona bem como são ricos em inositol-pentaquisfosfato, um produto reconhecidamente eficaz na prevenção do câncer.

Os tomates e outros alimentos ricos em licopeno, como a melancia e a toranja rosa estão associados à redução do risco de vários tipos de câncer, inclusive o de próstata. Estudos conduzidos pela Harvard School of Public Health constataram a redução de um terço no risco de desenvolver câncer de próstata entre homens que frequentemente consomem alimentos ricos em licopeno.

Batata doce, cenoura e melão são ricas em beta-caroteno que auxilia o sistema imunológico a impedir o desenvolvimento do câncer. Vegetais crucíferos como os brócolis, couve e couve-flor são ricos em sulforafano, um fito-químico eficaz no combate ao câncer que também auxilia o organismo a eliminar o excesso de testosterona, reduzindo o risco de vários tipos de câncer, sobretudo o de próstata.

O leite de soja ou de arroz é uma excelente alternativa, mais saudável, para substituir o leite de origem animal.

O Projeto Câncer (www.cancerproject.org) oferece uma grande variedade de recursos alternativos para ajudar homens e suas famílias a promover mudanças positivas em suas dietas.